English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

terça-feira, 22 de março de 2011

Dieta por Tipo Sanguíneo

Mantenha seu corpo em forma e a sua saúde perfeita.
A dieta explica que os tipos sanguíneos tem forte influência no organismo. Eles determinam a eficiência do metabolismo, do sistema imunológico, o estado emocional e até a personalidade de cada indivíduo, promove o bem-estar, diminui o peso e fortalece a saúde a partir de uma mudança de hábitos alimentares.

Basicamente, a dieta do grupo sanguíneo segue a premissa de que cada grupo sangüineo (A, B, AB e O) devem seguir dietas específicas.


Para cada grupo sanguíneo, os alimentos podem ser classificados como:

  • Positivos: alimentos que previnem e tratam doenças
  • Neutro: alimentos que não previnem doenças porém também não prejudicam à pessoa
  • Negativos: alimentos que podem agravar ou causar danos à pessoa.
Importante!

É necessário que o paciente faça uma avaliação pois o que importa não é apenas saber quais os melhores produtos, e sim promover reações no metabolismo para que os elementos neles encontrados tenham boa absorção. Pois nós perdemos os nutrientes não somente por alimentos ruins mas sim, pela  qualidade de vida, que engloba emoções, sentimentos, o dia a dia, etc.

                                                             Fonte:Santini Ortomolecular

Abaixo, matéria exibida no programa "Hoje em dia". Assista: 

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Angina e faringite na garganta das crianças


Angina e faringite são a infecção da faringe e das amídalas das crianças. É uma inflamação da faringe que pvovoca geralmente dor de garganta e que pode ser causada por uma variedade de microorganismos.

Causas, incidência e fatores de risco da angina e da faringite


A faringite é provocada por uma variedade de microorganismos. A maioria dos casos são 
virais e incluem os vírus que causam o resfriado comum, a gripe (vírus da influenza), adenovírus, mononucleose, HIV, entre outros.
As causas bacterianas incluem o streptococcus do grupo A, que produz a faringite estreptocócica, além da Cornebacterium, Arcanobacterium, Neisseria gonorrhoeae, Chlamydia pneumoniae e outros. Em até 30% dos casos não se identifica nenhum organismo.
A maioria dos casos de faringite se apresentam durante os meses mais frios, durante a estação de doenças respiratórias. É comum o contágio entre os membros da família.
A faringite estreptocócica é uma causa grave da faringite. As complicações da faringite estreptocócica podem incluir febre reumática aguda, insuficiência renal e doenças graves tais como bacteremia e a síndrome de shock tóxico por streptococcus.

Sintomas da angina e da faringite


- Dor de garganta

- Os sintomas adicionais dependem dos organismos subjacentes.
- A faringite streptocócica pode estar acompanhada por febre, dor de cabeça e gânglios lingáticos inflamados no pescoço.

- A faringite viral pode estar associada com coriza e secreção nasal.
- Os casos graves de faringite podem estar acompanhados por dificuldade para engolir e, com raridade, na dificuldade para respirar.

Sinais e exames da angina e da faringite


O médico efetua um exame da faringe para avaliar se existe drenagem ou recobrimento, também pode-se examinar a pele, os olhos e os gânglios linfáticos do pescoço.
Se existe suspeita de faringite streptocócica, pode-se realizar um exame para streptococcus e/ou cultivo por citologia da garganta. Podem ser realizados cultivos adicionais de garganta e/ou exames de sangue de acordo com o organismo que se suspeite (por exemplo, mononucleose, gonorréia, etc.).

Tratamento da angina e da faringite


O tratamento da causa subjacente. As infecções virais se manejam com medidas de suporte tais como gargarejo com água quente e sal, analgésicos e líquidos. Indica-se terapia antibiótica se for diagnosticada faringite estreptocócica.

Expectativas (prognóstico)


A maioria dos casos de faringite se resolver por si só e sem complicações.

Complicações da angina e da faringite


As complicações possíveis de uma faringite estreptocócica incluem a febre reumática, inflamação dos rins, bacteremia (bactérias na corrente sanguínea) e, excepcionalmente, a sindrome de Shock por streptococcus. Em algumas formas mais graves de faringite (por exemplo faringite por mononucleose grave), pode-se apresentar obstrução das vias aéreas. É possível que se apresente um abcesso peritonsilar ou um abcesso retrofaríngeo.

Situações que requerem assistência médica


Deve-se buscar assistência médica, se se desenvolver uma dor de garganta persistente que não se resolva em alguns dias ou se tem febre alta, gânglios linfáticos inflamados no pescoço ou erupção. Se a pessoa tem dor de garganta e tem dificuldade de respirar, deve buscar ajuda médica imediatamente.

Dicas de como aliviar cólicas infantis


É muito comum o bebê apresentar cólicas, principalmente com cerca de duas semanas a tres meses de vida , e muitos pais “marinheiros de primeira viagem”, sofrem por não saberem uma fórmula de como aliviar a dor do abdômem do seu bebê.
As cólicas tanto podem ocorrer nos bebês que são alimentados no peito como nos alimentados com mamadeira, em muitos casos imediatamente após a refeição.
Aprenda algumas dicas praticas a serem tomadas no dia-a-dia que servem como solução para evitar/aliviar as cólicas do seu bebê:
  • Se estiver alimentando a criança a mamadeira, verifique se o orifício do bico tem o tamanho conveniente e se segura a mamadeira com a inclinação correta, de modo que o bico esteja sempre cheio de leite;
  • Se começou há pouco tempo a dar comida sólida ao seu bebê, pare de fazê-lo, pois a criança pode estar reagindo aos alimentos ou ao leite;
  • Um bom número de bebês são alérgicos ao leite de vaca e se dão melhor com o leite de soja;
  • Tente embalar suavemente o bebê nos seus braços, esfregando-lhe as costas ou colocando-lhe um pano quente no abdômen.
As cólicas  em si não são graves, mas se o problema insistir, consulte imediatamente um médico e se forem acompanhada por outros sintomas, como vômitos, diarréia ou sangue nas fezes, ou se as cólicas forem tão fortes e persistentes que estejam esgotando as forças da criança ou da mãe.

Otite – Dor de ouvido em criança


Otite é uma inflamação do ouvido causada por um acúmulo de líquido no sistema auditivo. Embora seja uma simples infecção, a otite (dor de ouvido), pode acarretar uma perda momentânea até uma perda permanente da audição.
Estudos indicam que a otite média atinge aproximadamente 90% das crianças menores de sete anos. No inverno, a doença é mais comum. Segundo as estatísticas, 75% das crianças podem ter o mesmo problema três vezes por ano.
Assim, fique atenta e qualquer manifestação leve ao médico. A perda auditiva causada pela otite média normalmente é temporária e reversível, mas é constante e não tratadas adequadamente, podem tornar-se perda auditiva irreversível.
Toda criança deve fazer um teste de audição antes de entrar o ano letivo. A perda auditiva causada por quadros de otite pode causar atrasos no desenvolvimento da linguagem, distúrbios da fala e da capacidade de aprendizagem reduzida.
Os Pais devem ficar atentos quando perceber que a criança parece distraída, não responde imediatamente ao seu chamado ou quando assistem TV em grandes volumes por exemplo.
Segundo o perito, quando uma criança tem otite, a fisiologia do ouvido tem o trabalho dificultado. Normalmente, depois de um tempo, se ela for tratada, pode haver melhora.
Caso a criança não respire pelo nariz, a comunicação é prejudicada por causa da trompa de Eustáquio, que é um canalzinho que liga o nariz ao ouvido.
Quando há muitas infecções no ouvido, esse canalzinho permanece bloqueado, a secreção não é drenada de maneira efetiva, ocorrendo acumulo dessa secreção, pode acontecer uma diminuição da audição.

Otite Externa em Criança

otite externa é uma inflamação da pele do canal do ouvido, causadas por bactéria ou fungos, geralmente não há febre, mas dói quando você toca , coça, fica vermelho o locaL, também pode inchar e a perda de audição também são comuns.
O tratamento da otite externa inclui analgésicos para alívio da dor, antibióticos e antifúngicos e medicamentos tópicos (colírios)no local. O calor local também ajuda a suavizar a dor. A região deve ser limpa apenas por um médico.

Otite média em criança

Otite média é a infecções de ouvido que ocorre mais em crianças . Principalmente durante ou após resfriados, gripes, alergias e infecções respiratórias na garganta ou porque as bactérias ou vírus subir na tuba auditiva e causam acúmulo de secreções no ouvido médio que causa inflamação, se não tratada, pode levar à perda total da audição.
No bebê, pode ocorrer otite média quando estão sendo amamentadas, principlamente antes de dormir. Dependendo da posição da criança, com a pequena trompa de eustáquio é mais horizontal que no adulto, o leite chega ao ouvido médio com maior facilidade podendo ocasionar inflamação.
Sendo assim, a melhor posição para amamentar e para prevenir a otite médiaé deixar que a cabeça do bebê fique levantada acima do corpo, quase numa posição sentada. Nos casos de estar dando alimentos a posição deve ser a mesma.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Berinjela ao Forno



Ingredientes:

 4 berinjelas cortadas em cubos
 2 pimentões vermelhos cortados em cubos
 2 pimentões verdes
 2 cebolas grandes
 1 dente de alho esmagado
 2 colheres (de sopa) de azeitonas pretas e verdes, picadas
 1 xícara (chá) de óleo
 1 xícara (chá) de azeite
 ½ xícara (chá) de vinagre tinto
 1 folha de louro
 sal e orégano a gosto
 cheiro-verde picado a gosto.

Modo de fazer:

                                    Refogue o alho e a cebola em um pouco de azeite. Coloque as berinjelas e os pimentões num pirex grande. Adicione o alho refogado com a cebola, as azeitonas, sal, pimenta, orégano e respingue com o vinagre e respingue com o vinagre. Junte a folha de louro e regue tudo com o óleo e o azeite. Misture tudo muito bem. Asse em forno quente a 200oC, mexendo algumas vezes. A berinjela estará pronta quando toda a água que se formar tiver evaporado (cerca de meia hora).


Fonte: Delicias Da Culinária Adventista

Feijoada Vegetariana



Ingredientes


 2 xc. de feijão preto
2 dentes de alhos amassados
½ cebola (picada)
2 xc. de cenoura (picada grande)
1 xc. de chuchu (picado grande)
2 xc. de beringela desidratada* (picada grande)
1 xc. de ervilha fresca
½ pimentão vermelho (picado grande)
2 xc. de carne de soja em pedaços grandes
1 xc. de cebolinha verde (picada)
3 colheres. de salsinha
4 folhas de louro
3 colheres. de sopa de azeite de oliva
sal marinho a gosto.


Modo de fazer:


                                                                            Lave bem o feijão esfregando-o entre as mãos em água corrente. Deixe-o de molho à noite ou no mínimo 2 horas. Depois jogue fora essa água, pois nela ficam substâncias que provocam gases no processo digestivo do feijão. Ponha para cozinhar em 1,5 litro de água em panela de pressão por aproximadamente 15 minutos ou até ficarem meio macios (pois será cozido ainda mais tempo em panela aberta), reserve.
                                                                           Em outra panela frite o alho no azeite até dourar e em seguida coloque a cebola e deixe refogar até amolecer, na seqüência acrescente a cenoura e o chuchu e continue refogando até ficarem um pouco macios, nesse ponto junte a berinjela, a ervilha e o pimentão, ponha um pouco de sal e continue refogando por mais 4 minutos. Agora junte este refogado ao feijão e coloque a carne de soja (preparada), a cebolinha, a salsinha, o louro e acerte o ponto do sal. Cozinhe (sem pressão) mais 20 minutos ou até o feijão ficar macio e o caldo engrossar.




Fonte: Delicias Da Culinária Adventista

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Bacalhoada Vegetariana


INGREDIENTES 

6 batatas médias
1 xícara de molho de tomate
1 vidro pequeno de leite de coco light
2 cebolas em rodelas finas
¼ de xícara de azeite de oliva
1 folha de louro quebrado
500 gramas de glúten ou bife vegetal
2 ovos cozidos em rodelas ou mussarela de búfala
½ pimentão vermelho em rodelas
½ pimentão amarelo em rodelas
Azeitonas pretas inteiras
Salsinha a gosto
Limão a gosto
3 dentes de alho
02 cols. sopa de óleo para refogar
Sal a gosto

MODO DE FAZER 

Corte o glúten em bifes. Tempere com limão, alho, sal. Passe na frigideira com pouco óleo, para refogar. Coloque em forma refratária a metade do glúten. Faça camadas de batatas, cebola, pimentão, azeitonas e ovo cozido. 
Misture o leite de coco com o molho de tomate e coloque sobre as camadas de carne, legumes e ovos ou mussarela de búfala. 
Regue com azeite de oliva. 
Leve ao forno aquecido, por cerca de 10 minutos. Salpicar salsinha. 
Se desejar, pode salpicar queijo ralado.

 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...